O professor paulista Clóvis de Barros Filho é um show para todo o tipo de público e talvez um dos melhores palestrantes do Brasil no momento. Em março ele concedeu esta entrevista imperdível ao jornalista Danilo Gentili, que é uma pérola  e vale a pena ser assistida.Dê play e confira.


Clique e abra o DM de hoje

contador de acesso
contador de acesso

            Visitas ao Site

Pelotas no Satélite

Clique e confira

O site do jornalista A.B.Silveira - Contato: abesilveira@hotmail.com

 Bela definição de canalha


Poucas & Boas

   Clique aqui

   O prefeito Eduardo Leite está usando escancaradamente a máquina pública para promoção pessoal de olho na eleição do ano que vem, quando tentará a reeleição para ficar mais quatro anos ganhando salário de aproximadamente R$ 20 mil.E a grande prova que tem que ser observada pelo MINISTÉRIO PÚBLICO é o programa Bairro da Gente, que já teve sua segunda edição com alto custo arcado pelo contribuinte pelotense.Na maior cara-de-pau deste embuste júnior de prefeito, que mobilizou forte aparato para o “evento”, inclusive com a utilização de veículos como este caminhão de uso do setor de iluminação pública para fotografar e filmar o ato, cujas imagens serão de grande valia na próxima campanha eleitoral.Este caminhão munck equipado com esta torre para substituição de luminárias na rede pública, que muitas vezes não pode ser utilizado em solicitações mais urgentes, estava lá para contemplar o ego do prefeito que não governa mas quer continuar no cargo, custe o que custar, por conta dos outros.As três fotos mostram o veículo e a nova estratégia de utilização. Sem falar nos outros custos deste evento, todos pagos pela gente de bem desta cidade.O mínimo que se espera agora do Ministério Público, muitas vezes extremamente zeloso em procedimentos contra jornalistas, venha a dar o mesmo tratamento para este administrador sem critérios.Usar a máquina pública para promoção pessoal é crime até mesmo no mais distante rincão de Curral Alto ou nos confins do Arroíto,lá pelas bandas de Santa Vitória do Palmar.Agora só resta saber se também é para Eduardo Leite e seu “grupo”.


Cadê o MP estadual?

DESFAÇATEZ DE CONCURSO

     O prefeito Eduardo Leite é uma figuraça que não tem compromisso com nada, que não respeita ninguém e vai levando a vida num cargo que lhe garante mais de R$ 600,00 por dia e mais de R$ 18 mil mensais. Pois bem, esse prefeito que está aí tem dado várias demonstrações de que não tem controle de sua equipe, que não manda nada e que seu governo é controlado por grupos. Esta foto é da rua Álvaro Barcelos nº 115 no Areal, paralela ao Tecnosul, onde um elemento conhecido por Nilton resolveu amontoar todo o tipo de lixo na frente da sua casa, passando a dormir no telhado da mesma, causando sérios transtornos para os moradores das proximidades já que neste lixão a proliferação de insetos e roedores é uma constante.Em mais de uma oportunidade as secretarias ditas competentes fiscalizaram o local mas não tomaram qualquer providência. Será que o prefeito não tem um mínimo de consideração com os moradores desta rua? Será que ele não se envergonha quando embolsa um salário deste valor desconsiderando tanto os que bancam o seu bom padrão de vida? Será que esta foto deixa algum tipo de dúvida?

Afinal, qual a diferença?

  Impressionante o alarde para a demolição do prédio onde funcionou a Estação Primeira do Areal, sob a alegação da ilegalidade da obra e a foto menos não dei qualquer dúvida da necessidade desta ação oficial. O que impressiona é a diferença de tratamentos quando o assunto é o PopCenter, que foi construído sobre um logradouro público e foi pemitido por quem tem o dever a obrigação de exigir o cumprimento da lei. Nestas situações de nada vale a alegação de que foi uma parceria entre as iniciativas pública e privada já que aquele local é um bem público, que foi liberado sem uma consulta à população. Na verdade tal grupo tem as costas quentes e as máquinas da demolição nunca chegarão por lá e se chegarem, nada farão, para nçao serem enxotados pelos seguranças.

     

   Durante reunião com 12 ministros e o vice-presidente Michel Temer, na tarde desta segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff responsabilizou a Operação Lava-Jato por parte da queda do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano. Ao discorrer sobre as dificuldades econômicas que o país enfrenta, a presidente citou a operação da Polícia Federal, dizendo que esta provocou uma queda de um ponto percentual no PIB. O comentário, segundo dois ministros que estavam na reunião, ocorreu logo após uma longa explanação de Nelson Barbosa (Planejamento) sobre o cenário econômico e as perspectivas “sombrias” se as medidas do pacote de ajuste fiscal não forem aprovadas pelo Congresso.

     — Para vocês terem uma ideia, a Lava-Jato provocou uma queda de um ponto percentual no PIB brasileiro — afirmou Dilma.

     A presidente não teria dado detalhes do cálculo e, em seguida, emendou a necessidade de apoio da base aliada no Congresso aos projetos encaminhados pelo governo.

    A presidente convocou a reunião para cobrar de ministros indicados pelos aliados que seus parlamentares votem a favor do governo, especialmente nas matérias econômicas. Dilma mostrou-se insatisfeita com o nível de infidelidade da base, que levou a seguidas derrotas na Câmara e no Senado no primeiro semestre. Dilma pediu “rapidez” e “responsabilidade” nas votações e determinou aos ministros que procurem os deputados e senadores de suas relações para influenciarem a favor do governo.

    Dilma chamou ao seu gabinete o vice, Michel Temer, e 12 ministros: Eliseu Padilha, Kátia Abreu, Edinho Araújo e Hélder Barbalho, do PMDB; Gilberto Kassab e Afif Domingos, do PSD: Aloizio Mercadante e Nelson Barbosa, do PT; Aldo Rebelo, do PCdoB; Armando Monteiro, do PTB; George Hilton, do PRB; e Antonio Carlos Rodrigues, do PR. A presidente quer que este grupo “fidelize” os parlamentares que estão sendo parceiros e que busque reduzir ao máximo as dissidências nas bancadas.

     — Foi uma reunião para dar um freio de arrumação nas relações com as bancadas. O recado aos ministros foi duro porque o governo não pode deixar a economia sair do controle. É preciso compromisso dos partidos aliados e que eles impeçam uma pauta bomba na Câmara e no Senado com medidas que aumentem as despesas — disse uma fonte do governo.



A incrível Dilma culpa Lava-Jato pela queda do PIB

Após quase três anos de total abandono, Pelotas teve no sábado a terceira edição do programa eleitoreiro Bairro da Gente, promovido pelo prefeito Eduardo Leite, que está gastando uma nota preta com estes eventos. Recentemente foi levantado na Câmara Municipal que cada evento festivo custa mais de R$ 30 mil aos cofres públicos numa cidade que enfrenta sérios problemas na Saúda, Educação, Iluminação  e Pavimentação das principais ruas.O curioso é que este governo pode tanta coisa que os outros não podiam. Será algum tipo de vacina para tanta imunidade?