Ucrânia: Deputado jogado no lixo

VOCÊ CONHECE A ESCOLA MÁRIO QUINTANA?

Clique aqui e confira

Na Ucrânia um deputado que traiu o povo ao apoiar a intervenção russa em seu país passou por maus momentos quando foi jogado num coletor de lixo por populares descontentes com sua atuação. Se por aqui é moda pegar, na certa faltarão coletores para muitos políticos de todas as esferas, muitos dos quais só usam a política para obter vantagens pessoais. O recado veio de lá do outro lado do mundo mas serve para que muitos dos nossos tratem de deixar suas barbas de molho. Ninguém mais quer saber de maus políticos. Certo senhor Eduardo Leite?

Diário da Manhã

Clique aqui e acesse o site

Apollo11.com  

Pelotas no satélite

Poucas & Boas

www.poucaseboas.net - www.abesilveira.com.br

Contato: ab.silveira@ig.com.br

como colocar contador de visitas no site
>

Acessos


www.poucaseboas.net - O site do jornalista A.B.Silveira

UFPEL:Dossiê da companheirada

   O Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS) realiza, até o dia 15 de outubro, a avaliação dos portais das Prefeituras e Câmaras Municipais, tendo como referência as exigências da Lei Complementar nº 131/09 e da Lei de Acesso à Informação (LAI).

    A avaliação, que iniciou no dia 1º de setembro, permitirá a premiação dos sites que se destacarem no que se refere à transparência ativa no “Prêmio Boas Práticas de Transparência na Internet”. Entre os 20 pontos a serem observados, estão a disponibilização de informações organizacionais e a de dados sobre licitações, contratos celebrados e registro de despesa.

  A iniciativa do TCE-RS busca estimular os gestores municipais a aperfeiçoarem os portais dos Executivos e Legislativos Municipais. O prêmio integra a campanha lançada pelo Tribunal de Contas “Transparência, faça essa ideia pegar”, cujo objetivo é o de estimular a população a usar instrumentos da LAI e de sensibilizar os gestores públicos.

 Opinião:O Tribunal de Contas tem mesmo é que orientar os gestores a administrar com seriedade e transparência.Um dos pontos que o TCE deixa a desejar é o descontrole total em relação aos estagiários dos poderes, já que deveria exigir a veiculação do nome de todos que cumprem estágios, onde estão lotados e onde estudam mas isso não é feito por total desinteresse de um órgão que só serve para empregar deputados, principalmente os que começam a se distanciar das urnas. Lamentavelmente este é um órgão que só fiscaliza os outros e não aceita ser fiscalizado, tanto que foi um parto para que o ex-presidente João Luiz Vargas largasse a teta, mersmo sob forte temporal dse irregularidades.O quadro de servidores do TCE é da melhor qualidade e tem que engolir a todo momento os “despejos” políticos. Recentemente um conhecido conselheiro estava julgando as contas de um companheiro progressista e tudo isso tem que ser engolido normal. Conselheiro que deixara a Assembléia Legislativa liberando sua cadeira para a mulher do prefeito em julgamento. Depois alegam que vão até as últimas consequências contra as “leviandades” levantadas. Por isso o nosso TCE tem ter consciência que a idéia de transparência só pega quando os dois lados ajudarem, sem trocas de favores e interesses.

    





TCE inicia avaliação para não avaliar nada

 O relatório final da CPI que investigou as obras de pavimentação da Avenida Fernando Osório e de construção da ciclovia, no valor de R$ 8,5 milhões, foi aprovado, na manhã desta quinta-feira, 18/09, por unanimidade, após a leitura pelo relator, vereador Marcus Cunha (PDT). Segundo o parlamentar, nos próximos dias, o documento, com todos os depoimentos anexados, será entregue ao presidente do Legislativo, Ademar Ornel para encaminhamento ao Ministério Público Estadual, onde já tramitam dois processos da Prefeitura contra o Consórcio SP, que realizou as obras; ao Ministério Público Federal, porque os recursos empreendidos foram destinados pelo governo federal; ao Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura, para avaliar possíveis desvios de conduta e ao Tribunal de Contas do Estado.

  “Cumprimos nosso papel de fiscalizar, demonstrando o despreparo no uso do dinheiro público”, afirmou o presidente da CPI, vereador Marcos Ferreira (PT). “Concluímos que tanto o Município de Pelotas quanto o Consórcio SP são co-responsáveis pela má qualidade da obra realizada na Avenida Fernando Osório no que diz respeito à pista de rolamento em frente à Faculdade Anhanguera, e à Confraria e ao Banrisul, na Praça do Colono”, completou o relator, Marcus Cunha.

  Conclusão – Segundo o relatório, “a obra apresentou defeitos visíveis em frente à Faculdade Anhanguera e em frente à Confraria e Banrisul. Além disso, foram detectados diversos defeitos graves em toda extensão da ciclovia...”. “Os projetistas da Unidade Gerenciadora de Projetos, engenheiros Raul Odone Gonçalves e Lélio Gomes Brod.... não se valeram de avaliação estrutural de pavimentos para embasarem seu projeto de requalificação da avenida como manda a boa técnica. Não procederam a estudo de tráfego na via para quantificar a carga suportada... não previram que o subleito apresentava uma capacidade de suporte baixíssima, que a saturação permanente do subleito e o tráfego comercial intenso gerariam excesso de poro-pressão, que torna o solo menos resistente e mais deformável...”

Segue o relatório: “Que o Consórcio SP mesmo depois de verificar que o asfalto não se fixava no solo..., depois de ter alertado os engenheiros projetistas da UGP diversas vezes... mesmo assim, executaram a obra conforme o projetado por três vezes seguidas, insistindo no erro, inutilizando materiais deliberadamente, com a finalidade de terminar a obra a qualquer custo para receber o pagamento, ao invés de suspender sua execução como preceitua o Art. 625 do Código Civil...”

Ainda de acordo com o documento final da CPI, caberia à Prefeitura alterar o contrato modificando o projeto, mas, como isso não foi feito, a administração incorreu em omissão, “ferindo o princípio da eficiência”. O relator aponta, ainda, que o saibro das amostras laboratoriais oferecidas pelo Consórcio SP “não corresponde ao saibro colocado efetivamente no local, na base da ciclovia, mas até o presente momento o Município não fez uma contraprova quanto à qualidade do material efetivamente colocado na obra, se contentando com as amostras oferecidas pelo Consórcio SP”.


Relatório da CPI da Fernando Osório é aprovado e agora vai para o Judiciário

O Sanep continua sendo uma boa fonte de notícias e, mesmo com todos os fatos levantados seguidamente e os apontamentos de órgãos fiscalizadores como o Tribunal de Contas, a administração municipal não está nem aí para os absurdos cometidos nesta grande autarquia. As duas últimas que nos chegaram recentemente mostram que o prefeito continua um menino brincalhão, com o que é dois outros, é claro: Fato 1: Um detentor de cargo com salário de mais ou menos R$ 6 mil mensais não vai trabalhar por estar envolvido na campanha de deputado estadual do filho, que concorre por um dos partidos nanicos.Enquanto isso os que ganham menos têm que trabalhar.Tudo com respaldo do presidente da autarquia. Fato 2: O Sanep adquiriu equipamento de última geração para a leitura e impressão das contas dos usuários, a exemplo do Sabesp, a companhia de abastecimento de água de São Paulo.Trata-se de um moderno equipamento que representa economia de recursos já que simplifica os serviços. O problema é que o atual comando do Sanep está com este equipamento guardado no setor de cadastro já que não foi autorizado pelo presidente. Com isso a empresa deixa de economizar, o rombo vai aumentando e por falta de competência administrativa voltam sempre com a surrada proposta de criação da taxa do lixo.

O tal de Paulo Roberto Costa assume ter recebido propina de R$ 1,5 milhões na compra da refinaria de Pasadena. Quando um dos menores peixes do esquema recebe tudo isto, imagine só os grandes tubarões do esquema político que comanda a estrutura da Petrobras. São os mensalões de esquerda e direita que continuam sob outras formas e com novos personagens com alta sofisticação no roubo do direito público, capazes de envergonhar até mesmo o nada saudoso Paulo César Farias,o PC do Collor, que hoje teria enormes dificuldades em  ser até mesmo estafeta destas quadrilhas.

Outubro está chegando a continua a velha celeuma da Feira do Livro, que é entravada pela administração municipal e pela Câmara Pelotense do Livro, numa disputa de beleza que ainda terá muitos capítulos, penalizando os apreciadores do evento. Um evento deste porte não pode ser administrado por uma entidade que não tem compromisso público. Um absurdo de quem um dia permitiu isso. Talvez já esteja na hora do prefeito mostrar que a cidade tem administrador e dar o canetaço, definindo o Parque Júlio de Castilhos como o local oficial do evento. Uma cidade com a tradição cultural de Pelotas não pode ficar refém dos péssimos gestores que passaram pela Secult e pela entidade que diz “administrar” o evento.A Praça Coronel Pedro Osório já está superada para este tipo de evento mas é preciso que as pessoas tenham noção disso.

O prefeito de Pelotas fala em medidas para melhorar o trânsito na cidade, mas isto só será possivel quando forem implantados os corredores de ônibus no centro, que em determinados horários passa por um verdadeiro caos com paradas entupidas de coletivos sem qualquer orientação de tecnicos do setor de transportes. O caos se acentua nos finais de tarde. Enquanto não for adotada uma política de buscar mais assessoramento tecnico para vários setores, o caos vai estar sempre próximo.

A violência em Pelotas está chegando a um limite insuportável, com altos índices de crimes contra a vida e os órgãos de segurança continuam impotentes para enfrentar a bandidagem. Uma das vítimas recentes foi o senhor Paulo Bandeira, que foi proprietário de uma das bancas do Pop Center, trucidado na frente da sua esposa em sua residência. Agora o mínimo que se espera da Polícia Civil é que os responsáveis sejam presos e que não se repita aquela história de 1994 quando o empresário Augusto Medeiros dos Anjos  foi morto em sua propriedade na localidade de Monte Bonito e até hoje nada foi esclarecido e se for apurada a autoria, os matadores já estão beneficiados pela prescrição. Leis de um país onde o bandido de hoje pode ser alta autoridade amanhã.


ESFORÇO CONCENTRADO PELA TAXA DO LIXO

pag01.pdf pag02.pdf pag03.pdf pag04.pdf Univ.pdf