Gheorghe Zamfir um flautista romeno especialmente conhecido mundialmente pela sua música de "The Master of the Pan Flute."Zamfir foi "descoberto" pelo etnomusicólogo suíço Marcel Cellier que pesquisou extensivamente a música folk nos anos 1960. Trazido pela primeira vez com a sua flauta pan para países da Europa Ocidental em 1972 pelo compositor Vladimir Cosma como solista na música da banda original do filme Le grand blond avec une chaussure noire que fez grande sucesso. Desde então tem sido utilizado como solista em trilhas sonoras de filmes de compositores famosos como Francis Lai e Ennio Morricone e muitos outros. Principalmente através de comerciais de televisão, onde foi anunciado como "Zamfir, Mestre da Flauta Pan", ele introduziu o instrumento popular para um público moderno. Nos Estados Unidos, seus comerciais eram amplamente vistos na CNN em 1980.


Gheorghe Zamfir

Você já conhece a Escola Mário Quintana?

Clique aqui para ter uma visão mais ampla  sobre a escola

 Como um administrador que se diz sério e que tanto falou em transparência, pode demitir uma figura impecável como Roberto da Silveira Pinto(foto), que vinha comandando a Prevpel? Uma pergunta que vem sendo feita desde que o prefeito de Pelotas resolveu demitir este homem público de grandes serviços prestados.

  O prefeito pode apresentar diversas alegações, mas nenhuma delas terá crédito já que esta decisão foi tomada de acordo com os interesses de seu homem de Finanças, José Francisco Cruz, que deu claros sinais de que não afinava com Roberto Pinto e também com muito interesse no caixa da entidade, hoje com mais ou menos r$ 50 milhões.

  O que é estranho na atitude do prefeito é a demissão de um cidadão inquestioná-vel e a manutenção de vários outros elementos noçivos e um dos exemplos é Fernando Estima, que já teve séria condenação pela Justiça Federal e cumpriu pena de serviços à comunidade na Santa Casa local.E aí fica a pergunta: Eduardo está perdido, mal assessorado por todos os lados ou entrou para esculhambar de vez com a Prefeitura Municipal de Pelotas?


Demissão inadmissível para quem prega transparência

Poucas & Boas

 www.poucaseboas.net - www.abesilveira.com.br  Contato: ab.silveira@ig.com.br

http://diariodamanhapelotas.com.br/site/

Imagem de satélite de Pelotas

contador de visitas blogger

       ACESSOS SITE

Santa Casa agoniza, dívida aumenta R$ 800 mil por mês mas provedor nem pensa em sair


     A Santa Casa de Pelotas vai de mal a pior, conforme foi revelado em recente balanço, a dívida aumenta em aproximadamente R$ 800 mil mensais, os serviços podem ficar comprometidos num curto espaço de tempo mas o provedor Roberto Brauner Penteado nem dá sinais de largar o cargo para que outros diretores encontrem uma saída para a sua caótica gestão.

     Além de uma dívida de R$ 40 milhões e prejuízos de aproximadamente R$ 7 milhões, o descontrole administrativo desta gestão está fazendo com que os números da dívida aumentem significativamente.

      Com a revelação dos números da dívida acumulada, alguns diretores já demons tra- ram descontentamento e alguns deles pediram desligamento da direção, por discordarem do estilo alternativo de gerenciamento, que já representa alto risco, até mes mo para a sobrevivência desta histórica instituição, com mais de 100 anos de atividades.

     O que também é grave é que alguns serviços estão por paralisar por falta de pagamento já que não recebem desde janeiro.

     O que também chama a atenção é que a todo momento pessoas que vinham colaborando com a atual gestão acabaram deixando suas funções como o tesoureiro João Ricardo Pierobon, a tesoureira adjunta Francisca Osório e o médico Nilton Gomes, que respondia como diretor técnico.

      Este é o quadro da administração equivocada da Santa Casa, bem diferente do antecessor Roberto Lamas, cuja gestão enfrentou problemas mas a instituição conseguiu evoluir e dar um salto de qualidade.

       Foi quando alguns interesses prevaleceram e o comando mudou, pena que para pior e nem assim a lição foi aprendida.

Gestão de Roberto Penteado(E) é fraca, na comparação com a a administração de seu antecessor Roberto Lamas(D), que melhorou muito a imagem da SC.

Vários temas são abordados de forma interpretativa e crítica como a grave situação da Santa Casa, o abandono das lixeiras do centro, o novo ciclo de artes na UFPel, a anulação da eleição do CAVG, o fim da mamata do Vicente Falconi, a extorsão envolvendo um policial civil e vários outros temas de interesse dos nossos leitores, principalmente no setor público, onde a bandalheira corre frouxa.

Clique aqui e abra a nova edição impressa

Tribunal de Contas recomenda a aprovação das contas de 2013 do  governo Tarso Genro

    O Pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS) emitiu, na manhã desta quarta-feira (30), parecer favorável à aprovação das contas do exercício de 2013 do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro. O voto do relator do processo, conselheiro Pedro Figueiredo, foi seguido à unanimidade pelos votantes, sendo que o conselheiro Estilac Xavier se declarou impedido de participar da votação, tendo em conta a circunstância de ter integrado a administração estadual. O Conselho, entretanto, apresentou uma série de recomendações à gestão.

    Entre os pontos a serem observados pelo governo, se destacam a necessidade de providenciar a aplicação de recursos nos montantes definidos pela Constituição Estadual para a Manutenção e Desenvolvimento do Ensino (MDE), a obrigatoriedade de direcionar os recursos do FUNDEB exclusivamente para os fins a que se destinam, a garantia da efetividade do exercício do Controle Interno pela Contadoria e Auditoria Geral do Estado (CAGE) e o fim dos obstáculos ainda oferecidos ao exercício do controle externo.

     Os conselheiros aprovaram, ainda, que o governo deve promover mais investimentos no Sistema Prisional do Estado, adequar a carteira de contratos e obrigações do DAER aos recursos orçamentários disponíveis, manter a implementação de mecanismos com vistas ao pagamento de precatórios, regularizar as despesas pagas sem o respectivo empenho, promover a regulamentação definitiva do Fundo Previdenciário de Capitalização (FUNDOPREV) e recompor os valores “sacados” do Caixa Único (SIAC).

      Seguindo o voto do relator, o TCE-RS entende que o governo estadual deve atentar para o fato de que, embora constatada a obediência aos limites e condições estabelecidos na Lei de Responsabilidade Fiscal, houve o agravamento da situação financeira do Estado. Outras medidas como a aplicação de 80% da Receita Operacional Líquida (ROL) da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) nas estradas, a adoção de medidas para suprimir impropriedades entre os registros contábeis e a execução orçamentária relativos às contribuições previdenciárias e a discrepância entre os números da Dívida Ativa, bem como a necessidade de implementar mecanismos mais eficazes na administração e, sobretudo, na arrecadação dos créditos tributários; implementar procedimentos tendentes à apuração e à cobrança de dívidas superiores a R$ 3 bilhões registradas no Balanço Patrimonial do IPERGS e propiciar a vinculação e a disponibilização de recursos financeiros ao Fundo Estadual de Saúde (FES), suficiente para fazer frente aos Restos a Pagar correspondentes às Ações e Serviços Públicos de Saúde (ASPS) inscritos no Balanço do Estado.

     O parecer do TCE-RS segue para julgamento da Assembleia Legislativa do Estado após o trânsito em julgado do processo. O prazo para recurso é de 30 dias a partir da publicação no Diário Eletrônico do Tribunal.