fbpx

SAUDADE

SAUDADE…

DIZEM QUE EXISTE PRA QUEM SABE TER, MAS COMO SABER?

HÁ AQUELA SAUDADE TRANQUILA, SERENA…

QUASE QUE COM A CERTEZA DE TER-SE PERTO AQUILO QUE ESTÁ LONGE.

NÃO CHEGA A MACHUCAR, ÀS VEZES ATÉ ALEGRA, CRIA AQUELA EXPECTATIVA INSPIRADORA, UMA LEMBRANÇA REVIGORANTE, UM SOPRO DE FÉ.

MAS E QUANDO A SAUDADE RASGA O PEITO, TIRA O CHÃO, PARALISA?

DÁ UM NÓ NOS PENSAMENTOS, FAZ A MEMÓRIA LATEJAR, TRANÇANDO A EUFORIA DE OUTRORA COM O VAZIO DO AGORA.

SOFRIMENTO DESÉRTICO, COMO A BOCA CLAMANDO POR ÁGUA APÓS DIAS SEM UMA GOTA.

E A SAUDADE RESIGNADA, RENDIDA, QUANDO NÃO HÁ MAIS O QUE SE FAZER?

CORREM LÁGRIMAS PERDIDAS PELA PERDA, O ABISMO ROMPE QUALQUER FIO DE ESPERANÇA DE REVIVER O PASSADO, COLOCANDO APENAS UM PONTO DE INTERROGAÇÃO SOBRE O FUTURO.

SAUDADE ASSIM, SAUDADE ASSADO, NO FIM DAS CONTAS TODAS TEM UM ÚNICO FIM…

(N)O REENCONTRO.

EDISON JARDEL

05/12/13

E aí, se identificou? Se quiser dizer algo sobre a saudade manda aí… compartilhe suas emoções, faz bem!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
  • Envie um Comentário: (se o campo não aparecer, espere um pouquinho hehehe... malditos scripts do Facebook que deixam meu site mais pesado)